top of page
  • Foto do escritorJose Junior

IRPF 2023: mais de 2 milhões de contribuintes já estão na malha fina, saiba oque fazer.

O contribuinte não recebe os valores a serem restituídos enquanto não acertar as pendências com a Receita.


De acordo com dados da Receita Federal, considerando os envios do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2023 recebidos até este sábado (27), mais de 2 milhões de contribuintes já caíram na malha fina.

O número corresponde a 6,45% das 32,4 milhões de declarações recebidas até a data. Entre os principais motivos que levaram à malha fina, segundo a Receita, está a omissão de rendimentos.

Outros motivos citados são: omissão de rendimentos dos dependentes, despesas médicas não confirmadas, despesas médicas indedutíveis e informação divergente de retenção na fonte.

Com prazo final para envio nesta quarta-feira (31), às 23h59, a Receita espera receber um total de 39,5 milhões de declarações do IRPF.

Quem estiver na malha fina e tiver algum valor a ser restituído pelo Fisco, não receberá a quantia até regularizar sua situação com a autarquia.


Como saber se a declaração está na malha fina

Para conferir se a sua declaração caiu na malha fina, o contribuinte pode acessar a situação na página da Receita, clicando na opção “Meu Imposto de Renda”.

Se for identificado algum erro ou pendência, o cidadão já pode fazer a retificação e corrigir os dados que estiverem errados ou incompletos.

Vale lembrar que para mudar o modelo da declaração, de simplificada para completa ou ao contrário, o contribuinte deve fazer a retificação até o dia 31 deste mês. Após essa data, não será possível fazer este tipo de modificação.

Quanto mais rápido o contribuinte fizer a retificação da sua declaração do IRPF, mais rápido ele sairá da malha fina e poderá reaver valores que estejam pendentes de restituição.

Mesmo quem não tiver valores a receber e cair na malha fina deve fazer a correção, do contrário ficará com pendências com a Receita e pode, além de pagar multas, ser acusado de sonegação fiscal.




3 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page